Aquicultura para todos

O bivalve de crescimento mais rápido do mundo poderia ser o fruto do mar cultivado do futuro?

Bivalves Desenvolvimento de espécies Segurança alimentar +4 mais

Uma equipe de pesquisadores do Reino Unido espera reescrever a história do verme do mar: transformar uma espécie que antes era vista como uma praga marinha em um alimento valioso e rico em nutrientes, rebatizando-a como "moluscos nus" e desenvolvendo o primeiro sistema para cultivá-la.

Um pedaço de madeira flutuante mostrando como os moluscos nus se enterram e consomem madeira para obter nutrientes

© Alan Williams

Os vermes marinhos são os bivalves de crescimento mais rápido, atingindo até 30 cm de comprimento em apenas seis meses. Eles fazem isso escavando em resíduos de madeira e convertendo-os nos nutrientes de que precisam. Cientificamente chamadas de teredinídeos, essas criaturas têm uma concha minúscula, mas são classificadas como moluscos bivalves e estão relacionadas às ostras e aos mexilhões.

Os pesquisadores da Universidade de Plymouth e a Universidade de Cambridge, relataram que os níveis de vitamina B12 nos vermes - que eles rebatizaram como amêijoas nuas - eram mais altos do que na maioria dos outros bivalves - e quase o dobro da quantidade encontrada nos mexilhões azuis.

Foi demonstrado que, com a adição de uma ração à base de algas ao sistema, os moluscos nus podem ser enriquecidos com ácidos graxos poliinsaturados ômega-3, nutrientes essenciais para a saúde humana.

Os vermes dos navios são tradicionalmente vistos como uma praga porque perfuram qualquer madeira imersa na água do mar, inclusive navios, cais e docas.

O primeiro autor do estudo, Dr. David Willer, da Universidade de Cambridge, declarou em um comunicado à imprensa: "Estamos cultivando-as usando madeira que, de outra forma, iria para um aterro sanitário ou seria reciclada. Elas também têm o mesmo sabor das ostras, são altamente nutritivas e podem ser produzidas com baixo impacto no meio ambiente."

Como os moluscos nus não gastam muita energia para criar conchas, eles crescem muito mais rápido do que os mexilhões e as ostras, que podem levar até dois anos na aquicultura tradicional para atingir o tamanho de mercado.

Construindo um mercado - e um sistema de cultivo - para vermes

Atualmente, os vermes selvagens são consumidos nas Filipinas, crus ou empanados e fritos como lula. No entanto, para os consumidores britânicos, os pesquisadores afirmaram que, em sua opinião, os moluscos pelados serão mais populares como substitutos da "carne branca" em alimentos processados, como empanados e bolinhos de peixe

Os pesquisadores também desenvolveram um sistema de aquicultura totalmente fechado para cultivar com sucesso os moluscos pelados. O sistema pode ser totalmente controlado, abordando a qualidade da água e as preocupações com a segurança alimentar frequentemente associadas à criação de mexilhões e ostras.

"Precisamos urgentemente de fontes alternativas de alimentos que forneçam o perfil rico em micronutrientes da carne e do peixe, mas sem o custo ambiental, e nosso sistema oferece uma solução sustentável", acrescentou o Dr. Reuben Shipway, da Universidade de Plymouth, e autor sênior do relatório.

A pesquisa atraiu financiamento de fontes como The Fishmongers' Company, British Ecological Society, Cambridge Philosophical Society, Seale-Hayne Trust e BBSRC.

A equipe agora está testando diferentes tipos de resíduos de madeira e ração de algas em seu sistema para otimizar o crescimento, o sabor e o perfil nutricional dos moluscos pelados - e está trabalhando com a Cambridge Enterprise para aumentar a escala e comercializar o sistema.

Create an account now to keep reading

It'll only take a second and we'll take you right back to what you were reading. The best part? It's free.

Already have an account? Sign in here