Aquicultura para todos

Mais fortes juntos: estudo avalia ingredientes complementares para rações aquáticas

Salmonídeos Estoques de peixes Ingredientes de ração +6 mais

Um novo estudo, que avalia fontes alternativas de proteína para rações aquáticas, foi publicado em um importante periódico de pesca e aquicultura, já que os ingredientes tradicionais das rações estão se tornando cada vez mais inviáveis.

O estudo considera os benefícios e as vantagens e desvantagens dos ingredientes da ração

Por exemplo, o farelo de soja é abundante, mas não é palatável para muitas espécies de peixes © Shutterstock

Liderado pelo Dr. Brett Glencross, diretor técnico da IFFO - uma organização de ingredientes para rações aquáticas - juntamente com um grupo de nutricionistas de peixes de renome mundial, uma review do progresso atual em direção a fontes alternativas de proteína para rações aquáticas acaba de ser publicado na Reviews in Fisheries Science and Aquaculture.

À medida que aumentam as preocupações com a responsabilidade ambiental e a sustentabilidade das cadeias de suprimentos de aquicultura, o setor de ingredientes de ração aquática tem sido exposto a um escrutínio cada vez maior. Os produtores de ração aquática, por sua vez, tentaram atender às expectativas de seus consumidores adotando uma série de ingredientes alternativos para ração aquática, como proteínas animais alternativas (farinhas de insetos e vermes e subprodutos do processamento de carne), recursos de proteína unicelular (produzidos a partir de bactérias, fungos ou microalgas) e fontes de proteína de grãos, como cereais, sementes oleaginosas e leguminosas.

Os pesquisadores realizaram uma análise SWOT (Força, Fraqueza, Oportunidades e Ameaças) de uma variedade de ingredientes de ração aquática, incluindo fontes tradicionais como farinhas de peixe e óleos de pesca forrageira, descobrindo que nenhum ingrediente representa a solução perfeita, mas juntos os ingredientes alternativos de ração aquática podem oferecer benefícios complementares.

"A avaliação demonstra que cada ingrediente tem pontos fortes e fracos. Em muitos casos, os pontos fracos de um ingrediente podem ser combinados com os pontos fortes de outros ingredientes para identificar oportunidades de complementaridade", disse o Dr. Glencross, em um comunicado à imprensa anunciando o estudo.

Por exemplo, o estudo mostra que o farelo de soja é um ingrediente benéfico devido à escala e à estabilidade do fornecimento, porém o ingrediente tem baixa palatabilidade para muitas espécies de peixes. Por outro lado, a farinha de peixe é altamente palatável, mas provém de uma fonte altamente limitada e insustentável.

O estudo sugere que a combinação de ingredientes complementares minimiza as desvantagens associadas a cada um deles e, ao mesmo tempo, maximiza as características benéficas da ração.

"Ao avaliar melhor os aspectos positivos e negativos de cada ingrediente, é possível aumentar nossa capacidade de adaptação para responder às diversas oportunidades de uso em rações e melhorar a sustentabilidade do setor no futuro", concluiu Glencross.

Create an account now to keep reading

It'll only take a second and we'll take you right back to what you were reading. The best part? It's free.

Already have an account? Sign in here