Aquicultura para todos

A edição de genes pode ajudar a reduzir a carga de piolhos do mar em salmões de viveiro?

Salmão atlântico Biotecnologia Piolhos-do-mar +5 mais
Nick Robinson, da Nifima, e Diego Robledo, do Instituto Roslin

Juntamente com seus colaboradores da Nofima, da Deakin University e da University of Edinburgh, a dupla criou um guia útil para avaliar o uso da edição de genes © Georg Mathisen, Nofima

Um novo projeto explorará se a edição de genes pode ser usada para proteger o salmão do Atlântico contra os piolhos do mar. Uma colaboração entre pesquisadores da Nofima, da Deakin University e da University of Edinburgh, os parceiros do projeto pretendem usar estudos genômicos do salmão do Pacífico, que é naturalmente resistente a piolhos, para informar seu trabalho de edição de genes.

Os salmões coho e rosa combatem os piolhos do mar naturalmente de uma forma que o salmão do Atlântico não consegue controlar.

"Nossa pesquisa genômica está nos ajudando a entender quais genes estão envolvidos na resistência contra os piolhos do mar nas espécies de salmão do Pacífico, e a próxima etapa do nosso projeto é testar a função desses genes no salmão do Atlântico usando a edição de genes. No início do próximo ano, estaremos prontos para introduzir o salmão do Atlântico editado geneticamente aos piolhos do mar em uma instalação fechada de biossegurança. Queremos ver se alterações pequenas e precisas que interrompem a função desses genes podem fazer com que as células imunológicas do salmão do Atlântico encapsulem os piolhos e os matem, como ocorre no coho, ou impeçam a fixação, como ocorre no salmão rosa", explicou Nick Robinson, cientista sênior da Nofima, em um comunicado à imprensa.

Ele enfatiza que não há dúvida de que o projeto editará genes em peixes que serão cultivados no oceano, vendidos e consumidos. Os cientistas testarão quais genes podem afetar a capacidade do salmão de repelir a infestação de piolhos. Eles observarão o que acontece exatamente onde os piolhos se fixam no salmão e a importância dos genes em relação à eliminação dos piolhos

"Os benefícios poderão ser grandes no futuro se for possível usar o conhecimento adquirido com o projeto para produzir um salmão resistente. Os piolhos criam feridas que se infectam. Se pudermos ajudar os peixes a se tornarem resistentes aos piolhos, isso trará benefícios para o bem-estar dos peixes. Ao mudar potencialmente toda a epidemiologia da infecção por piolhos nas fazendas, poderíamos também aliviar a pressão dos piolhos sobre o salmão selvagem", disse ele.

Um dilema ético

No projeto, os cientistas editarão genes que, segundo suas pesquisas, manterão o salmão saudável e os piolhos afastados. No entanto, a edição de genes é segura para uso em salmões que serão cultivados e vendidos?

"Em cada caso, é necessário fazer uma avaliação completa de como a edição pode afetar o bem-estar e a saúde dos peixes, o ecossistema aquático e a sociedade. Isso deve envolver os consumidores e outros grupos de interesse no processo de tomada de decisão. Os benefícios devem ser pesados em relação aos possíveis danos", enfatizou Robinson.

Portanto, os parceiros do projeto escreveram Um guia para avaliar o uso da edição de genes na aquicultura, que ajuda a avaliar os riscos da edição de genes. Eles também observam que a edição de genes não deve substituir a criação regular, por meio da qual são selecionados os animais com as melhores variantes genéticas para determinadas características.

Create an account now to keep reading

It'll only take a second and we'll take you right back to what you were reading. The best part? It's free.

Already have an account? Sign in here