Aquicultura para todos

A Symbrosia, startup de algas marinhas, recebe um subsídio de US$ 1 milhão

Ingredientes de ração Mudanças climáticas Sustentabilidade +8 mais

A Symbrosia, uma empresa iniciante sediada no Havaí que está desenvolvendo maneiras de produzir uma espécie de alga marinha que pode reduzir drasticamente as emissões de metano do gado quando adicionada à ração animal, recebeu um subsídio de US$ 1 milhão da National Science Foundation Small Business Innovation Research (SBIR).

O SeaGraze, à base de algas da Symbrosia, demonstra uma redução de duas vezes na produção de metano do gado quando substituído por ração animal tradicional.

© Symbrosia

O investimento da National Science Foundation (NSF) dos EUA será usado pela Symbrosia para desenvolver e implementar novas ferramentas de automação em sua fazenda de Asparagopsis do Natural Energy Laboratory of Hawai'i Authority (NELHA).

Fundada em 2019, a Symbrosia vem cultivando cepas de Asparagopsis de rápido crescimento e desenvolvendo produtos para reduzir drasticamente as emissões de metano do gado, um dos principais contribuintes de gases de efeito estufa do mundo. Seus parceiros incluem Organic Valley, Danone e Parker Ranch. A Symbrosia está ampliando a produção do SeaGraze rapidamente e fazendo parcerias com pesquisadores, fazendeiros, distribuidores e marcas para criar cadeias de suprimentos que recompensem os produtores pela produção de produtos animais com baixo teor de metano.

Alexia Akbay, fundadora e CEO da Symbrosia, declarou em um comunicado à imprensa: "Somos gratos pelo apoio contínuo do America's Seed Fund, desenvolvido pela NSF, que nos impulsiona para uma fase empolgante de pesquisa e desenvolvimento inovadores."

"Com um mercado de trabalho em constante mudança e uma inflação acentuada, acreditamos que a automação nos permitirá continuar a oferecer salários dignos aos nossos funcionários à medida que nossas operações crescem. Esse financiamento não apenas nos leva a um futuro mais sustentável na agricultura, mas também em empregos não relacionados ao turismo na Ilha do Havaí", acrescentou.

Create an account now to keep reading

It'll only take a second and we'll take you right back to what you were reading. The best part? It's free.

Already have an account? Sign in here